A gente vive e não sabe do que vai ter saudade

A gente vive

A gente vive e não sabe do que vai ter saudade. Porque saudade não avisa que o presente vai virar lembrança, e poucas vezes distingue o estável do passageiro. Algumas coisas o tempo leva sem piedade, e a gente antecipa a saudade do que não permanecerá. Talvez seja isso que vem dar sabor a noção de que passará como a própria vida que chega e sabemos que findará… ”
Fabíola Simões

Compartilhe...Share on Facebook0Email this to someoneShare on Google+1Pin on Pinterest0Tweet about this on Twitter

Ah… a saudade…

saudade1

Que palavra mais linda: saudade. Consegue exprimir todo um sentimento guardado, que mistura angústia, ansiedade, tristeza, sofrimento, alegria, sonho e contentamento. A saudade é cheia de tanta coisa que é difícil defini-la em palavras, só mesmo sentindo conseguimos decifrar tamanha explosão que acontece lá no coração.
Ela vem mansinha em alguns momentos e, em outros é arrebatadora, como um vulcão adormecido ao entrar em erupção. A saudade pode ser doce ou amarga, leve ou pesada, divertida ou entristecida.

 

Acredito que não exista uma pessoa em todo o mundo que já não tenha sentido saudade. Uma criança recém nascida, um senhor de idade. Até os animais que dizem por aí que são irracionais, são capazes de experimentar esta verdade.

 

Ah, saudade, vem e invade com tua coragem e traz à tona tudo aquilo que um dia já foi parte de outra realidade. Vem com tua força para servir de estímulo a novas possibilidades.
 Cris Lavratti
Compartilhe...Share on Facebook0Email this to someoneShare on Google+0Pin on Pinterest0Tweet about this on Twitter